sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Rio derrota Madrid, Chicago e Tóquio. E só o tempo dirá se realmente venceu. Escrito por : Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br

Eu não confio nos que estão à frente do projeto Olímpico Rio 2016. Os gastos, erros e absurdos cometidos antes, durante e depois dos Jogos Pan-americanos de 2007 me impedem de acreditar nessa turma. Mas depois de várias candidaturas fracassadas, a turma do COB e os políticos que embarcam na carona olímpica e toda a visibilidade por ela proporcionada aprenderam o caminho. Assim, derrotaram três cidades do chamado "Primeiro Mundo" numa final de resultado inimaginável há algum tempo.

A vitória acachapante da candidatura carioca (66 votos contra 32 de Madrid) dá ao Rio de Janeiro a chance de se reerguer como cidade, de oferecer à população as condições de vida que ela merece. Para isso, promessas terão que se tornar realidade, diferentemente de muitas das feitas antes do Pan e jamais cumpridas. E desta vez elas são ainda maiores, mais profundas e de difícil execução.

O povo do Rio, que em grande parte ainda acredita em tais promessas e nos que as fazem, tem esperança. Honestamente, não tenho. Quem acompanha este blog sabe disso. Não com essa turma que está aí. Espero me enganar e que fatos novos me convençam disso. Mas para tal será preciso manter os olhos bem abertos, como os cofres públicos deverão estar ante a sanha pela gastança dos de sempre.

Nos Jogos Pan-americanos de 2007, só em instalações esportivas, os locais das competições, foram torrados perto de R$1,080 bilhão, sendo que pouco mais de 3% oriundo da iniciativa privada, ou seja, quase 97% do dinheiro ali colocado eram oriundos do governo, em suas diferentes escalas. É óbvio que para uma Olimpíada essas cifras serão muito superiores e aqui não estão envolvidas as obras de infra-estrutura, por exemplo.

Os Jogos serão apenas daqui a sete anos, pouco tempo para aprontar tudo, mas o bastante para sair gastando, com ou sem concorrência, em nome do cumprimento dos prazos, etc. O Pan não melhorou a vida de quem mora no Rio. Quem conhece e frequenta a cidade sabe disso. Tampouco deixou algum legado esportivo digno de registro. Isso não impede um resultado diferente desta vez.

A parte mais complexa ainda está por começar, investimentos elevados precisam ser corretamente aplicados para que o maior evento esportivo do planeta melhore a tão sofrida cidade mais linda e famosa do Brasil. Difícil crer que aconteça, tendo à frente os de sempre. O Rio de Janeiro, e em consequência o Brasil, perdeu ou venceu? Só o tempo dirá.

por Mauro Cezar Pereira

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. na real, tem um lado bom e ruim de tudo isso. masss, quem sabe é bom abrir os olhos :D bj cheeidi, passa no meu? *-*

    ResponderExcluir